terça-feira, 8 de janeiro de 2008

É certo fazer o que acha “certo”?

Muita coisa em mente, mas nada consigo expressar.
Quando estou ocupada, de bem com a vida...Penso apenas no agora, não agradeço, não lamento. Não faço nada! Meu humor fica estável. É uma glória!
Vou vivendo. Até que algo me atinja, me faça pensar. E se bobear, meu humor muda novamente, afeto as pessoas ao redor. E assim vou vivendo.
Sinto dizer a mim mesma, mas odeio ser assim.

A confiança.

Deixei uma mensagem para um amigo, perguntando como ele estava, e que eu estava com saudades. Coisa que faço com frequência quando alguém some, e não dá notícias (se a pessoa não tiver Orkut).
Após enviar a mensagem para todos os números de celular que tinha desta pessoa, me retornaram ligação. Desculpem -me, mas não atendi, pois já passavam da uma hora da madrugada de hoje. Minha casa em perfeito silêncio, não, não iria atender. Naquele momento só estava para uma pessoa, que dei minha palavra, que a qualquer horário poderia ligar. Pois esta pessoa não estava de bem com a vida.
Tudo bem, não sou a melhor pessoa para despejar conselhos e tudo mais. Mas, gosto de ver as pessoas bem, ainda mais quando eu gosto.

Queria ser assim com meus pais. Mas lhe confesso, tenho vergonha. Juro, tenho vergonha de meus pais. Pai e Mãe. Também irmão. Como pode?! Para lhe dizer a verdade, não sei ao certo se é vergonha. Mas não pergunto como estão, se está tudo bem, nem nada do tipo.
Para outros tipos de coisa, ajo normalmente, não sinto vergonha, ainda mais quando bebo com eles. Falo coisas que desacredito. Não tenho segredo com eles, nem nada.
Mas quando é na parte afetiva, sinto muito, mas eles não podem contar comigo.
Me sinto péssima, mas ainda não consegui dominar, tirar essa “coisa” de mim.
Quando era mais nova, era pior. Morria de vergonha, horrores. Com o tempo fui dominando. Mas ainda não consegui na parte afetiva. Oh céus, será que consiguirei um dia?


Voltando...(Disperso me muito fácil)

Hoje, de manhã. Agora a pouco. Ligação da “tal” pessoa. Atendo com total animação com um “Oooooiiiiii”.
Ao outro lado da linha, a voz de uma mulher. Um tom de voz que parecia uma mãe curiosa.
A ligação, meio ruim. Não dava para ouvir muito bem. Juntando ao nervosismo e ansiedade de ambas as partes.
Inicia-se o diálogo:
Quem é que ta falando? - Diz a garota ao outro lado da linha
É a Bárbara! Quem fala? - Digo, com já desconfiança de quem poderia ser.
Bárbara de onde? - Retrucou.
É a amiga de “fulano”. Este número ainda é dele?
Você conhece ele de onde? - Com uma voz meio enfurecida.
Ah, estudei acho que uns tres meses com ele. É que ele sumiu, não deu mais notícias, nem nada. E resolvi ligar, oras. Quem é? É a namorada dele, “fulana”? - Tentando explicar naquelas....
Sim, sou eu. A namorada dele. O que quer com ele?
Oh, não precisa se preocupar não. Que tenho namorado também, não rola nada entre nós, tá!?... Ele é meu amigo. Relaxa.
Ah não. Imagina, que isso! É que as vezes nós ficamos com a cabeça meio longe. Preocupada, tal.
Não, tudo bem, sei como é. Você pode mandar um beijo pra ele?!
Tá, mando sim. Pode deixar.
Desculpa qualquer coisa. Mas só queria saber como ele estava mesmo. É que é meu amigo, sabe como é. Me preocupo.

...E foi mais ou menos isso o que aconteceu...

Invejei a de ter feito o que fez. Jamais teria coragem de fazer o que esta pessoa fez.
Talvez pq ela ame, e eu nunca amei. Acho que nunca amei de verdade. Daqueles amores que você se sacrificaria pela pessoa. Isso eu chamo de amor.

Mas aí está....e a confiança?!
Não sei se é certo, ou se é errado.
Ficaria com o mesmo pensamento, tentando entender o que está acontecendo. Começar a pensar em coisas que não fazem sentido algum. Tiraria conclusões precipitadas. Sofreria calada.

É certo fazer o que acha “certo”? Isso claro, só pensando em você mesmo. Sem pensar nos demais.


Ouvindo: Runnin' Alone – Brand New Sin.
Me apaixonei perdidamente por essa música. Se tiverem a oportunidade procurem a ouvir, deixe a música levar.

Um comentário:

André disse...

Awey..
Legal as coisas q vc ta escrevendo Bá, pelo jeito deve ser uma espécie de terapia pra vc, pq lendo paree q vc ta dialogando com vc mesma, principalmente qndo vc citacoisas q vc gostaria ou nao gostaria de ser.
Na minha opinião, como eu já te falei pessoalmente, você é tao confusa assim, de lua e paradoxal, eu acho q isso acontece com vc pq vc ainda não acho algo q realmente te complete, algo q realmente te faça feliz por inteira e não deixe duvidas.
E talvez por vc aina nao ter achado isso ainda, vc fica impaciente e as vezes acha q o problema é com vc.

Bom , sei lá , é o q eu penso.

To com saudade de vcs ai , manda um abraço pra galera do tatoo
E valew por tudo!
Beijão